Pretendemos fazer deste espaço um momento, leve, de reflexão, de troca e partilha de saberes… As suas dúvidas são importantes, e juntos vamos dar-lhe voz… Contamos consigo! Deixe as suas dúvidas, para todos os meses reflectirmos sobre as Pessoas e actuais angústias, tentando sempre dar estratégias para um novo sorriso, ânimo e FORÇA…

Juntos por SI e para SI!…

Neste mês, queremos partilhar convosco angústias de pais e professores…

É verdade que muito se tem falado sobre a educação e todos os dias nos deparamos com problemas nas escolas, entre alunos e professores.
Acreditamos e por vezes, erradamente, julgamos ou condenamos outros pais por considerarmos que não adoptam a melhor educação ou a melhor conduta social. Somos constantemente informados de jovens que desafiam professores, professores que confundem papéis e os pais que sendo o pilar de uma sólida estrutura cognitiva, por motivos vários, delegam parte da tarefa à sociedade.

E quem é esta sociedade?
Sabemos que os nossos jovens passam cerca de 70% do seu tempo na escola, os restantes 30% são partilhados com a família. Cabe, em parte à equipa escolar orientar socialmente tendo por base a educação familiar.
Mas como podem orientar quando assistimos a uma separação de sistema família e sistema ensino?
São alarmantes os casos de agressões alunos – professores, professores – alunos, pais – professores, professores – pais. De que lado estará a razão? A resposta a esta questão depende, em parte, do lado em que nos colocamos.
Enquanto professores sonhamos com turmas repletas de jovens curiosos, criativos e educados onde a tarefa de ensinar e formar para a vida seja plena e positiva.
Por outro lado, enquanto pais depositamos esperanças e expectativas. São comprados livros, efectuadas pesquisas, tudo terá de ser perfeito.
No entanto educar e criar jovens nem sempre é tarefa fácil, são as preocupações constantes, as horas sem dormir, os gastos acrescidos que acontecem sempre na pior altura…
O nosso petiz, será o melhor filho do mundo. Jamais o veremos envolvido em comportamentos desajustados com os professores.
Cada pai procura fazer o melhor que pode e sabe com toda a maturidade necessária, tendo como objectivo o desenvolvimento harmonioso do filho. É fundamental que este tenha uma família unida, estruturada, cujos papéis a desempenhar não se confundam. Os jovens precisam destes modelos, afinal eles são o reflexo dos seus pais. É claro que é difícil educar um jovem, afinal não traz manual, nem tão pouco são todas iguais…
Temos acompanhado algumas famílias e o que mais nos comove são os casos onde a criança surge para salvar um relacionamento. A sintonia, as afinidades terminaram, a troca de afectos são raros e este pequeno ser tem a função de salvar. Isto não deve acontecer. O mais grave é a disputa de poder consequência de um relacionamento desgastado. Todo o relacionamento implica desentendimento, um desentendimento também é saudável, a forma como lidamos com ele é que deverá ser positiva e inteligente, devendo existir respeito, saber ouvir, respeitar o tom de voz, a forma como expomos a situação é por demais importante.

Enquanto pais e professores se reflectirmos um pouco, facilmente compreendemos que não importa o grau de dificuldade das tarefas mas sim o grau de união, de empenho. Afinal os pais não educam melhor ou pior que um professor. O importante é mesmo o entendimento, a força, o respeito, e noção de responsabilidade inerentes à formação e à família. Ambos devem exercer a função de pais “educadores” para o correcto desenvolvimento do jovem. Ambos são necessários. Umas vezes proíbem, outras permitem, sem no entanto se desautorizarem. É fundamental não se sobrecarregarem, nem se culparem uns aos outros, transmitirem valores e muito apoio. Ensinar que não é necessário sermos sempre os melhores, mas sim aguentarmos e enfrentarmos as adversidades. Nem tudo o que precisamos aprender vem nos livros… Mostrar que amar chorar e rir fazem parte, que devemos admitir falhas, saber perdoar e respeitar, isto é muito importante para a formação do jovem, permite-lhe ter alicerces para crescer e desenvolver. O essencial os pais e professores deram, a hora da verdade chegará quando enfrentar a sociedade …
Lembre-se, saiba sempre estar perto, cuidar e apoiar.
Não queiram ser os melhores pais ou professores, deixem esse papel para o Vosso seu filho e Vosso aluno…

No dia em que também ele for pai ou professor, certamente será o melhor do mundo pois teve a sorte de os ter a Vocês como MESTRES!

Dra. Cláudia Valente

2018 © Copyright - Discurso Feliz - Desenvolvimento Web Noáxima

Fale connosco        91 380 04 47